segunda-feira, 26 de julho de 2010



(foto de Kelly Marinho)


DA TERRA AO MAR
.
No chão os pés eu fincava.
Milimetrava o passao ignorante
Em busca da fonte que lava
A dúvida de forma intrigante.

Notei que de fome me alimentava.
E a água que por vezes adiante surgia,
Em mim nada saciava.
Era a angústia do preciso viajante.

Mas a dor que eu acalentava
Caiu fatalmente de um mirante.
Tomei um barco e já flutuava,
Quando então gritei inquietante.

Quero navegar desprezando a pauta.
Esquecendo o absurdo caminho.
E incoporando o espírito argonauta,
Deleitar-me no ambiente MARINHO !

(Para Kelly Marinho de Weynes Matos - 1997)

Um comentário:

jefhcardoso disse...

Parabéns pela linda homenagem recebida.
Jefhcardoso do
http://jefhcardoso.blogspot.com